sábado, 30 de março de 2013

Quais as Doenças Ocupacionais que podem afetar a pele, e quais suas conseqüências?

Quais as Doenças Ocupacionais que podem afetar a pele, e quais suas conseqüências?
As doenças ocupacionais que afetam a pele em geral se manifestam sob forma de dermatites, muitas vezes causados por agentes irritantes (água, ácidos, álcalis, fluídos de cortes, agentes físicos. Agentes redutores e agentes oxidantes, entre outros).

Dermatite de contato por irritação.
Num primeiro contato da pele com um agente irritante a epiderme pode perder sua barreira proteção inicial, uma pequena camada de gordura.  Se o contato com o agente irritante for contínuo, (ou seja, ocorrer uma rotina de trabalho com o agente irritante), a camada córnea da epiderme será removida, permitindo que a derme fique exposta. Quando isso ocorre, o membro atingido pode passar a apresentar sangramentos, infecções e lesões mais severas e em alguns casos, o trabalhador perde a capacidade de utilização do membro. Além disso, qualquer substância química terá acesso facilitado para a corrente sangüínea. Esse processo pode levar dias, semanas ou meses, dependendo do agente químico e da suscetibilidade do trabalhador.

 Dermatite ou eczema de contato alérgico.
As alergias da pele, dentro ou fora do ambiente de trabalho, são muito freqüentes. No entanto, as dermatites alérgicas por contato com agentes químicos são tão ou mais freqüentes que as demais alergias. Não é raro encontrar funcionários com agentes químicos em ambientes controlados queixando-se de problemas de pele. Isso ocorre devido à sua suscetibilidade em relação ao agente químico (geralmente em baixas concentrações) ao qual ele está exposto. Em relação aos danos à pele, as conseqüências da dermatite de contato alérgica são as mesmas das dermatites causadas por agentes irritantes, exceto pelo seu período de manifestação. Em algumas situações, a dermatite de contato alérgica pode se manifestar a partir de cinco dias ou até vários anos de exposição à substância química. É importante entender que o funcionário pode passar anos trabalhando com um certo agente químico e desenvolver um processo alérgico bastante severo de forma repentina.

Outros casos de doenças ocupacionais da pele:

 Indústrias de Borracha:
- Vitiligo ocupacional causado pelo monobentil éter de hidroquinona (MBEH).

 Indústrias de cimento:
- Dermatite alérgica de contato em pedreiro polissensibilizado a cromato, aceleradores da borracha e tópicos (sulfa, furacin e prometazina).

- O contato freqüente com massa de cimento causou alergia severa, comprometendo os menbros superiores e inferiores do trabalhador.


 Indústria de galvanoplastia:
- Dermatite alérgica de contato (DAC) por óleo de corte solúvel. Trabalhador em torno revólver sofreu arranhões por farpas metálicas, que resultou em lesões lineares, vesiculosas e pruriginosas. Teste epicutâneos positivos com óleo solúvel puro e diluído a 50% em óleo de oliva.

Indústria de extração de sal:
-  Pitiríase versicolor comprometendo tronco e membros superiores. O quadro é pruriginoso, o que é incomum nesta dermatose.

Indústrias de fibra de vidro:
- Dermatite de contato pela fibra de vidro (DCFV).
Observe lesões de aspecto purpúrico no tronco e flanco do trabalhador.
Postar um comentário

Postagens populares

Google+ Badge