sábado, 4 de julho de 2009

Primeiros Socorros


Primeiros Socorross Noções Básicas.
DEFINIÇÃO
São os primeiros cuidados prestados à vítima de acidentes ou de doenças agudas, objetivando proteger a sua vida, reduzir o seu sofrimento e procurar mantê-la em condições de aguardar tratamento médico.
Atenção

Lembre-se prestar socorro é um ato acima de tudo de solidariedade; a omissão, ao contrário, caracteriza-se como uma infração gravíssima conforme o art. 176 do CTB, constituindo crime de trânsito com base no art. 304.
Quando devemos prestar socorro?

Sempre que a vítima não esteja em condições de cuidar de si própria
OBS: A pessoa que presta os primeiros socorros deve conhecer suas próprias limitações, pois não substitui o médico.
Procure parar o carro em local seguro,
Só deixe descer do seu veículo pessoas que tiverem condições de ajudar a prestar socorro.
Sinalize, de imediato, o local do acidente,
Não acenda fósforo para iluminar o local
Peça ajuda a outros motoristas; evite agir sozinho
Não perca tempo !!!!!
Não remova ninguém que apresente sinais de fraturas da coluna ou do pescoço, a não ser que haja risco de incêndio ou você não possa ressuscitá-la onde ele está.


Se alguém estiver preso ao assento pelo cinto de segurança e este não quiser se abrir, corte-o imediatamente.
Se no local do acidente, já houver pessoas socorrendo as vítimas e não estiverem precisando de mais ajuda, não pare seu veículo. Prossiga em sua viagem e avise o fato à polícia mais próxima, dando-lhe o maior número de informações possíveis

OS 10 MANDAMENTOS DO SOCORRISTA

1. Mantenha a calma.
2. Tenha em mente a seguinte ordem de segurança quando você estiver prestando socorro: Você é a prioridade (o socorrista). Depois a equipe. E por último e nem menos importante, a vítima. Isso parece ser contraditório a primeira vista, mas tem o intuito básico de não gerar novas vítimas.
3. Ao prestar socorro, é fundamental ligar ao atendimento pré-hospital de imediato ao chegar no local do acidente. Podemos por exemplo discar 3 números: 193 (número do corpo de bombeiros da cidade de Rio de Janeiro).
4. Sempre verifique se há riscos no local, para você e sua equipe, antes de agir no acidente.
5. Mantenha sempre o bom senso.
6. Mantenha o espírito de liderança, pedindo ajuda e afastando os curiosos.
7. Distribua tarefas, assim os transeuntes que poderiam atrapalhar lhe ajudarão e se sentirão mais úteis.
8. Evite manobras intempestivas (realizadas de forma imprudente, com pressa).
9. Em caso de múltiplas vítimas dê preferência àquelas que correm maior risco de vida como, por exemplo, vítimas em parada cárdio-respiratória ou que estejam sangrando muito.
10. Seja socorrista e não herói (lembre-se do 2º mandamento).

Importante

Apesar da gravidade da situação devemos agir com calma, evitando o pânico.
» Transmita confiança, tranqüilidade, alívio e segurança

» Aja rapidamente, porém dentro dos seus limites.

» Use os conhecimentos básicos de primeiros socorros.

» Às vezes, é preciso saber improvisar.

FERIMENTOS LEVES
Limpe o ferimento com bastante água corrente e sabão

Não tente retirar farpas, cacos de vidro ou partículas de metal do ferimento, a menos que saiam facilmente durante a limpeza.

Não toque no ferimento com os dedos nem com lenços usados ou outros materiais sujos.

Mude o curativo tantas vezes quantas forem necessárias para mantê-lo limpo e seco.

verifique se o paciente é vacinado contra tétano. Em caso de dúvida, procure o médico.

Se, posteriormente, o ferimento ficar dolorido ou inchado, procure orientação médica. É sinal de infecção.

FERIMENTOS EXTERNOS E PROFUNDOS

Os ferimentos externos ou profundos necessitam de atenção médica urgente, principalmente se:

As bordas do ferimento não se juntam corretamente;

Há presença de corpos estranhos;

Pele, músculo, nervos ou tendões estão dilacerados;

Há suspeita de penetração profunda do objeto causador do ferimento(faca, Prego, etc.)

O ferimento é no crânio ou face

A região próxima do ferimento não tem aparência nem funcionamento normal( ou seja está roxa, não tem movimento...)

Caso haja sangramento proceder da seguinte forma:
Use uma compressa sobre o ferimento (pano, gaze, lenço limpo)
Coloque a compressa sobre o ferimento
Pressione com firmeza
Use atadura, tira de pano, gravata ou outro recurso que tenha à mão para amarrar a compressa e mantê-la bem firme no lugar.

Caso não disponha de compressa, feche a ferida com o dedo ou com a mão, evitando uma hemorragia intensa


Aperte fortemente com o dedo ou com a mão de encontro ao osso nos pontos onde a veia ou a artéria é mais fácil de ser encontrada

OBS: quando o ferimento for nos braços ou nas pernas e sem fraturas, a hemorragia será controlada mais facilmente se a parte ferida ficar elevada.

Ferimentos Abdominais Abertos

Caso os órgãos tenham saído da cavidade, não procure recolocá- los no lugar.

Cubra com uma compressa úmida e limpa.

Prenda a compressa firmemente no lugar com uma atadura, sem comprimir.

O objetivo é proteger os órgãos expostos, por meio do curativo. A atadura deverá ser firme, mas não apertada. Evite ao máximo mexer nos órgãos expostos

Ferimentos Profundos no Tórax

Exemplos?

PAF (perfuração por arma de fogo)

Perfurações por arma branca ( faca,canivete,chave de fenda...)

O que fazer?


Coloque sobre o ferimento uma gaze ou um chumaço de pano ou a própria mão, para impedir a penetração do ar através do ferimento.

Seque o chumaço no lugar. Pressione com firmeza.

Um cinto ou faixa de pano passado firmemente em volta do tórax sobre o curativo será capaz de manter fechado o ferimento.

Não aperte muito o cinto ou a faixa em torno do tórax, para não prejudicar os movimentos respiratórios da vítima.

FRATURA
Fratura é o rompimento total ou parcial de qualquer osso.
Existem dois tipos de fraturas:
Fechada: o osso se quebrou, mas a pele não foi perfurada.
Exposta: o osso está quebrado e a pele rompida.

SINAIS E SIONTOMAS


Dor intensa

Impossibilidade de movimentar a região afetada

O QUE FAZER:

Imobilize o local da fratura e também as articulações próximas, acima e abaixo do local.

Para imobilizar, recorra a talas de papelão, cabos de vassouras, bengala, galho de árvore.

As talas deverão ter o comprimento suficiente para ultrapassar as articulações acima e abaixo da fratura. Deverão ser amarradas com ataduras, no mínimo em quatro pontos:

abaixo da articulação e abaixo da fratura.

acima da articulação e acima da fratura

CONTUSÕES E DISTENSÕES

Contusões e distensões são lesões provocadas por pancada ou torção sem ferimento externo.

Quando o local da contusão fica arroxeado, é sinal de que houve hemorragia ou derrame por baixo da pele. O acidentado sente dor, e o local fica inchado.

O QUE FAZER:


Imobilize e deixe a parte afetada em repouso.

A partir do segundo dia, use compressas de água quente para apressar a cura.

SE A CONTUSÃO FOR GRAVE, CONSULTE UM MÉDICO


Entorse

Entorse é a torção de uma junta ou articulação

O QUE FAZER:
Trate como se houvesse fratura.

LUXAÇÃO

Luxação é o deslocamento de um ou mais ossos da posição normal que ocupa na articulação.

A pessoa apresenta dor, deformação e inchação no local. Toda vez que os ossos de uma articulação ou junta saírem do seu lugar, proceda como no caso de fraturas fechadas.

O QUE FAZER:

Imobilize como nos casos de fratura.

Não faça massagens no local lesado,

Procure auxílio médico.

DESMAIO, ESTADO DE CHOQUE

DESMAIO

É a perda temporária e repentina da consciência, provocada em geral por emoções súbitas, fadiga, fome, nervosismo.

Imobilize a parte afetada.
Aplique gelo e compressas frias.

O QUE FAZER:

Deite a pessoa de costas e levante suas pernas.
Afrouxe-lhe as roupas.
Mantenha o ambiente arejado.
Aplique-lhe panos frios no rosto e na testa.
Se o desmaio durar mais de um ou dois minutos, agasalhe o paciente e procure

ESTADO DE CHOQUE


É o estado de depressão de vários órgãos do organismo devido a uma falha circulatória, podendo levar à morte.

O QUE FAZER:


Controle ou evite a causa do estado de choque.

Conserve a vítima deitada.

Afrouxe-lhe as roupas.

Retire da boca secreções, dentaduras ou qualquer objeto.

Inicie a massagem cardíaca externa se houver ausência de pulso e dilatação pupilar.

Vire a cabeça da vitima para o lado, caso haja vômitos.

Mantenha a cabeça da vitima sempre mais baixa que o corpo.

ATENÇÃO


NÃO dê líquidos à pessoa inconsciente ou semiconsciente.

NÃO dê líquidos, caso suspeite de lesão abdominal.

NÃO dê bebidas alcoólicas.

CHOQUE ELÉTRICO
Choque elétrico é a passagem de corrente elétrica pelo corpo, quando em contato com material eletrificado

O QUE FAZER:

Interrompa imediatamente o contato da vitima com a corrente elétrica. Para isso, utilize material não-condutor bem seco (pedaço de pau, cabo de vassoura, borracha, pano grosso), ou desligue a eletricidade.



Certifique-se de estar pisando em chão seco, se não estiver usando botas de borracha

Leve a vítima ao médico.

Verifique respiração e pulso. Se não sentir nenhum destes, comece a reanimar a vítima, pois devido ao choque elétrico, pode ocorrer parada cardíaca e respiratória.
Postar um comentário

Postagens populares

Google+ Badge